Conheça mais sobre os benefícios e precauções de uma das dietas mais populares atualmente.

Uma alimentação saudável e balanceada é essencial para quem busca viver uma vida melhor, e muitas vezes tentamos encontrar isso em um tipo específico de dieta. Muitas dessas dietas estão ganhando cada vez mais popularidade através das redes sociais e dos influenciadores, entre elas a dieta low carb.

Esse método busca restringir nosso consumo de carboidratos, considerados sempre o vilão do ganho de peso, em favor de proteínas e gorduras, fazendo com que a principal fonte de combustível do nosso corpo seja justamente as gorduras, o que leva ao emagrecimento entre outras vantagens. O low carb é conhecido como a versão mais leve, digamos assim, da dieta cetogênica.

É importante ressaltar que é “low” carb, e não “no” carb, o objetivo não é excluir totalmente os carboidratos e sim melhorar a qualidade dos que você vai ingerir. O foco está em reduzir principalmente carboidratos refinados, como arroz branco, doces e alimentos processados, e o excesso de açúcar. No lugar dessas fontes de energia se dá preferência aos carboidratos integrais e também as proteínas, gorduras e vegetais.

Pelo foco em proteína e gorduras, se teme que essa dieta faça mal ao coração. No entanto, a limitação de carboidratos faz com que os níveis de glicose e insulina no corpo caiam, e é justamente a insulina que é responsável pelo armazenamento da glicose. Claro que é importante o tipo desses alimentos a ser consumido, evite gorduras saturadas e foque em carnes magras.

Outra preocupação comum é em relação a uma possível perda de massa muscular. Vale ressaltar que sim, em toda dieta existe perda de massa magra em algum grau. No entanto, exercícios de musculação e um maior consumo de proteínas são fatores para evitar essa perda, que não aparenta ser maior no low carb do em outras dietas.

Então a low carb é para todo mundo? Não é exatamente assim também. Além de questões culturais e de hábito, essa dieta não é a única forma de perder peso e algumas pessoas não digerem bem carnes, por exemplo. Em alguns casos também é importante variar o tipo de dieta depois de algum tempo, já que o nosso corpo pode se acostumar a essa nova realidade e os efeitos da dieta podem diminuir.

O importante é o equilíbrio. Não deixe de se consultar com um nutricionista antes de qualquer mudança brusca na alimentação e mantenha sempre o acompanhamento. Mudanças em nossa alimentação não impactam apenas o ganho ou perda de peso. Lembre-se também que a dieta sozinha não adianta, e os exercícios físicos são sempre recomendados. A sua saúde deve sempre ser a prioridade número um.